terça-feira, 7 de abril de 2009

Amsterdam Nightlife

"Eu sou Amsterdam"! Essa é a tradução do 'slogan' da cidade - pelo menos enquanto eu estava lá, em abril de 2008.

Já faz um ano. Como a vida passa rápido, né? Por isso que o meu 'lema' é curtir ao máximo o tempo, que não pára. E de novo voltamos ao tema desse post: Amsterdam. A capital da Holanda e dos Países Baixos é sinônimo de diversão legal. Drogas naturais como a maconha e o cogumelo são permitidas por lei e vendidas nas mais diversas lojas com direito à exposição na virtine.
Mas acreditem: não foi por (só) isso que Amsterdam se tornou uma das minhas cidades favoritas no mundo. Claro que o marketing turístico da cidade acaba sendo a liberalização das drogas e da prostituição no "Distrito da Luz Vermelha" (Red Light District), onde as garotas de programa também são "vitrinadas" - dançam em frente à parede de vidro do quarto de trabalho delas, que dá para a rua. Calma. Quando um cliente é atraído pelo produto (sem discriminação, mas ela está sim vendendo o corpo), as cortinas são fechadas e o sexo é implícito só para as quatro paredes.
Enfim. Amsterdam não é só isso MESMO.
A vida noturna é incrível, há mais trânsito de bicicletas do que de automóveis poluentes, as pessoas são super agradáveis e o clima é de cidade pequena que dobra de gente com o turistas - que também fortificam a diversão! Eu adoro cidades turísticas. Quem vai, está de férias e quer diversão. Quem é de lá, vive em torno do turismo - isso é, na função de providenciar diversão aos que sustentam a economia da cidade.
Esse vídeo eu fiz quando estava lá, junto com o Smirnoff Ten. Dessa vez não apareço muito, mas fiz 100% do trabalho atrás das câmeras. Da filmagem à edição, posso dizer que sou a diretora do projeto. Que honra! Lembrando que o objetivo do Smirnoff Ten era mostrar a vida noturna local.

Espero que gostem. E críticas, como sempre, são super bem vindas!